Uncategorized

Tesuda do Café

Tesuda do Café
Um dia, estava eu de baixa médica, fui beber um café depois de almoço com um amigo, ver os jornais e conversar um bocado sobre as vidas. A empregada do bar, já me tinha chamado atenção, pelo corpo maravilhoso, não sendo linda, tinha um corpo atlético, com uma cintura fina e uma bunda bem redondinha e trabalhada.Como não poderia deixar de ser, eu comia aquela mulher com os olhos, todas as vezes que ela passava por mim e comecei a notar que ela olhava para mim também. Com o passar dos minutos, os olhares dela começaram a tornar-se mais persistentes e passou a ser um duelo entre os dois.
O tempo passou e eu fui para casa, cheio de tesão e obcecado com aquela bunda. A primeira coisa que fiz, foi procurar por ela no facebook e assim que a encontrei, fiz-lhe um pedido de amizade. Fui beber café e quando voltei, não tinha somente uma notificação de me ter aceite como amigo, mas também uma mensagem, “olá lindo! tudo bem?”, quando vi aquilo tive a certeza de que ela também estava louca de tesão, pelo que entrei logo a pé juntos… “Parece que gostas muito de olhar para mim…”, sendo que ela disse que sim e que eu tinha algo que a deixava louca, que ainda estava a tentar perceber o quê e que me queria beijar para tentar perceber. O único problema é que ambos estava-mos comprometidos, mas para ela isso não parecia ser um problema, pelo que me pediu a minha morada e disse que me iria fazer uma visita pela manhã, antes de ir para o bar, eu fiquei em pulgas, mas não acreditei que ela fosse capaz de cumprir a promessa…
No dia seguintes, tal como tinha prometido, lá estava ela, pelo que o nosso primeiro cumprimento foi logo um linguadão e um abraço com um grande apalpão na bunda, com a mão cheia, pelo que eu ela ficou louca com a maneira como eu a agarrei e eu cheio de vontade de a penetrar ali mesmo, mas ela retorquiu que estava com pressa e que voltaria na manhã seguinte, com mais tempo. Nessa tarde fui para a explanada apreciar aquela rabo que iria estar nas minhas mãos, no dia seguinte e assim foi, no dia seguinte ela apareceu lá toda cheirosa e mal abri a porta de casa, ela saltou para o meu colo e começou a beijar-me e a apalpar-me o caralho, eu apalpava-lhe o rabo e beijava-a no pescoço e apertava o corpo dela contra o meu, já que ela estava com algum receio de estar ali em casa, tive que ser eu a tomar o primeiro passo e meti-lhe o caralho na mão e empurrei-lhe a cabeça para baixo, pelo que ela começou-me a fazer um broxe logo ali. Fomos para o quarto e ela estava super excitada por estar na minha cama e por inerência da minha namorada, ao que ela referiu mesmo, “hum, que excitante foder contigo onde já fodeste tantas vezes!”. Eu despia-lhe a roupa enquanto lhe beijava o corpo, mas o minete demorou pouco, pois ela queria mesmo foder comigo e o tempo que tinha não era muito. Então eu penetrei-a! Com tanta tesão que ela começou a gemer como uma louca, pelo que eu fiquei com receio que os vizinhos ouvissem algo, porque a minha namorada trabalha sempre durante o dia. A minha excitação era tal que ao fim de pouco tempo vim-me logo, mesmo dentro daquela cona, quente, humida e apertadinha. Aquele clima de excitação, mede, receio e o facto de não a conhecer bem, criou ali uma situação estranha, mas adorei. Ainda tentei foder uma outra vez com ela, mas com a pressão do tempo e receio de ser descoberto não consegui, mesmo com o broxe que me fez de seguida, para tentar pôr o meu caralho teso de novo, mesmo sendo excitante ver aquela tesuda a chupar-me o caralho cheio de leite…
Depois disso, o marido dela descobriu mensagens nossas e não voltamos a encontrarmos-nos, mas continuo a frequentar o café e os olhares continuam. Por falar nisso… Vou beber um café…

Bunlar da hoşunuza gidebilir...

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir